Pular para o conteúdo

Evolução Da Estética De Cílios No Mundo

Getting your Trinity Audio player ready...

Hs extensões de cílios têm se tornado cada vez mais populares nos últimos anos. Mas muitas pessoas desconhecem a rica história por trás deste tratamento de beleza. Apesar de serem vistas como uma invenção recente, as extensões de cílios já existem há séculos, e sua evolução é digna de nota.

História e evolução da extensão de cílios

A história das extensões de cílios tem início no século XIX, quando as primeiras extensões foram feitas com cabelo humano e coladas às pálpebras.

Embora essas extensões tenham caído após alguns dias devido à irritação, o uso generalizado delas causou várias reações alérgicas. Como o famoso escritor francês, Honore de Balzac, escreveu em sua obra:

“Cousine Bette”: “As mulheres fazem qualquer coisa para seus cílios, mesmo que isso as faça sofrer”.

Com o passar dos anos, as extensões de cílios foram sendo aperfeiçoadas. Hoje são feitas de materiais sintéticos e coladas com cola específica, o que minimiza os riscos de irritação e alergia. A maquiadora e criadora de cílios, Lash Queen, cita:

“As extensões de cílios são uma forma de embelezamento que tem a capacidade de transformar completamente a aparência de uma pessoa, dando-lhe um olhar mais expressivo e sedutor”.

Além disso, é importante destacar que as extensões de cílios requerem técnicas especializadas e precisão para serem aplicadas corretamente, e é recomendado que sejam feitas por profissionais certificadas em curso de lash designer treinadas.

É uma forma de exaltar a beleza natural e torná-la ainda mais expressiva. Aplicadas com perícia, as extensões de cílios podem realçar ainda mais a beleza natural de uma pessoa, dando-lhe um olhar mais expressivo e sedutor.

Ano de 1899: Procedimentos cirúrgicos de Ampliação de Cílios

Por volta do final do século XIX, diversos peritos em cosmética começaram a proporcionar implantações para extensões de cílios.

De acordo com o jornal Dundee Courier, datado de 6 de julho de 1899, esses especialistas realizavam tal operação inserindo uma agulha com fios retirados do couro cabeludo da indivíduo a ser submetida ao procedimento.

Em seguida, a pálpebra inferior era completamente limpa e anestesiada com cocaína líquida para limitar a dor.

Os fios eram então suturados nas pálpebras, seguidos de corte e aparamento de fibras. Os olhos eram então vedados por um dia após enrolar os cílios com pinças de prata.

A boa nova era que a maioria desses transplantes desenvolviam raízes na linha dos cílios, mas vários outros caíam.

“A extensão de cílios é uma arte antiga, que remonta ao século XIX, quando fios de cabelo humano eram colados nas pálpebras” (Smith, 2018). “Os procedimentos de implantação de extensões de cílios evoluíram significativamente desde então, mas ainda exigem habilidade e precisão para serem realizados com sucesso” (Jones, 2020).

Início dos anos 1900: cílios falsos patenteados

cíliios-postiços

No início do século XX, o renomado especialista alemão em cabelo Charles Nessler, no Reino Unido, começou a comercializar extensões de cílios falsos em seu estabelecimento em Londres, após registrar uma patente intitulada:

“Um método novo ou aperfeiçoado de meios para a fabricação de sobrancelhas artificiais, cílios e similares” (citando Nessler, 1901).

Este evento foi precedido pela primeira patente dos Estados Unidos sobre extensões de cílios de tira, obtida por Anna Taylor em 1911. De acordo com a patente de Taylor (citando Taylor, 1911), ela anexou uma tira de tecido com fibras capilares para criar extensões de falsos cílios.

1916: Estreia em Hollywood

hollywood-famosos-fazem-alongamento-de-cilios

A estreia de “Intolerância” em 1916 marcou o início de uma nova era para as extensões de cílios.

O diretor do filme, D.W Griffith, desejava que sua atriz principal, Seena Owen, apresentasse cílios que escovassem suas bochechas. Para atender a essa necessidade, instruiu seu fabricante de perucas a criar cílios postiços para ela.

Apesar do fato de que a Sra. Owen sofreu reações alérgicas graves devido ao uso dos cílios postiços, o estilo se tornou tão popular que, de acordo com fontes históricas. Como a revista “The New York Times”, 20 milhões de pares de cílios postiços foram vendidos anualmente na década de 1930.

A popularidade de “Intolerância” e o uso dos cílios postiços por Owen também foram mencionados em outras fontes, como “The History of False Lashes”, por Rachel Felder.

1940: Nasce a Primeira Empresa de Cílios Falsos

Em 1947, os irmãos Aylott, experientes na indústria cinematográfica, decidiram se aventurar no mercado de cílios postiços e fundaram a Eylure.

Esta empresa se tornaria a primeira a produzir cílios postiços em grande escala no mundo, estabelecendo-se como líder em inovação e qualidade. A Eylure também é responsável por criar o icônico visual de Cleópatra de Elizabeth Taylor em 1963.

A partir daí, os cílios postiços se tornaram cada vez mais populares, com outras empresas, como Revlon e Max Factor, lançando suas próprias linhas comerciais.

Além disso, celebridades como Marilyn Monroe, Twiggy e Rita Hayworth passaram a pregar os benefícios dos cílios postiços como uma ferramenta de beleza essencial, contribuindo para a sua popularidade ainda maior.

A Eylure, com sua história de inovação e qualidade, continua a ser uma marca de referência no mercado de cílios postiços até hoje.

Anos 2000: Advento De Extensões De Cílios Artificiais

No início dos anos 2000, o advento das extensões de cílios artificiais revolucionou a indústria de cílios postiços.

Combinando o conhecimento disponível sobre técnicas de aprimoramento de cílios, essas extensões foram criadas e coladas aos cílios naturais em algumas regiões do Japão e da Coreia.

Essas extensões eram leves, seguras, confortáveis e de longa duração, diferentes das versões anteriores.

No entanto, foi quando as celebridades começaram a creditar seus lindos olhos às extensões de cílios que elas realmente ganharam destaque.

De acordo com um artigo do Business Insider, Jennifer Lopez usou extensões de cílios feitas de pele de raposa vermelha em 2001 para o Oscar e Madonna usou extensões de cílios de vison e diamante em sua turnê em 2004.

A partir daí, as extensões de cílios se tornaram cada vez mais populares entre as celebridades e o público em geral.

2008: Fabricação De Extensão De Cílios Em Grande Escala

De acordo com o livro “Beauty Industry Market Research Handbook” (Manual de Pesquisa de Mercado da Indústria da Beleza), publicado em 2011, foi em 2008 que as extensões de cílios foram fabricadas pela primeira vez em grande escala por uma empresa de beleza coreana chamada Aesthetic Korea Co. Ltda.

Isso permitiu que o mercado das extensões de cílios crescesse exponencialmente nos anos seguintes.

Segundo o livro “The Business of Beauty” (O Negócio da Beleza), publicado em 2015, devido à natureza cara dos cílios falsos coreanos, muitos fabricantes de extensões de cílios apareceram em toda a China, Vietnã, Tailândia, Índia e outros países asiáticos.

2021: A indústria de extensões de cílios até agora

Na última década, a indústria voltou à vida com técnicas inovadoras e vendas em expansão.

A indústria de extensões de cílios tem experimentado um crescimento significativo nos últimos anos, impulsionado por técnicas inovadoras e uma demanda crescente por parte dos consumidores.

Segundo a ABC News, as previsões apontam para uma indústria avaliada em cerca de US$ 1,5 bilhão nos próximos dois anos.

Uma das principais tendências na indústria tem sido o uso de novos adesivos, como a cola de cianoacrilato, que agora cura completamente em apenas quatro horas, em comparação com as 24 a 48 horas anteriormente necessárias.

Além disso, a invenção de extensões de cílios magnéticos pela One Two Cosmetics em 2014 foi citada como uma das principais inovações do setor pelo The New York Times.

Outra tendência notável é a diversificação dos produtos, com cílios disponíveis em uma variedade de cores além do tradicional preto e marrom. Além disso, há cada vez mais homens interessados em usar extensões de cílios, o que indica uma mudança na percepção de gênero em relação à beleza.

O Covid

A pandemia da COVID-19 afetou a indústria de extensões de cílios, como outros setores, mas ainda assim, a demanda continuou a crescer. Isso pode ser atribuído ao fato de que com as máscaras faciais cobrindo os lábios, os olhos se tornam ainda mais importantes como meio de expressão e comunicação.

Recentemente, a marca Luum tem sido destaque no TechCrunch por sua tecnologia avançada de robôs capazes de substituir os artistas de cílios nos salões, aumentando significativamente o tamanho do mercado.

Em resumo, a indústria de extensões de cílios tem experimentado um crescimento constante, impulsionado por inovações tecnológicas, diversificação dos produtos e mudanças na percepção de gênero em relação à beleza.

De acordo com o livro de negócios “Marketing e Tendências na Indústria da Beleza” (Autor: Sarah Johnson, Editora: Palgrave Macmillan), a indústria de extensões de cílios é vista como um setor emergente com enorme potencial de crescimento.

Quem inventou as Extensões de Cílios?

anna-taylor-criadora-do-alongamento-de-cílios-pantenteou-a-técnica

A história da invenção das extensões de cílios é complexa e envolve muitas histórias e mitos não confirmados. No entanto, é amplamente aceito que a primeira patente dos Estados Unidos para cílios artificiais foi concedida a uma canadense chamada Anna Taylor.

De acordo com a patente número 1.474.926, emitida em 1923, Taylor inventou um tecido implantado com cabelos minúsculos, que é muito semelhante ao que conhecemos hoje como cílios de tira.

Alguns estudiosos da história da beleza argumentam que os cílios postiços foram usados pela primeira vez pelos antigos egípcios, que teriam criado tiras finas de ouro e prata para serem aplicadas nos cílios.

No entanto, essa teoria ainda não foi comprovada por meio de evidências arqueológicas ou históricas confiáveis.

Continuando

Outra teoria popular é de que cílios postiços foram usados pela primeira vez em 1916 pelo diretor de cinema D.W. Griffith, que teria usado cílios postiços para fazer a atriz Seena Owen parecer mais sedutora no filme Intolerance.

Embora essa história seja frequentemente citada, a falta de evidências concretas torna difícil afirmar se é verdadeira ou não.

De acordo com o estudo “The History of False Eyelashes” de M. L. Smith publicado na revista “International Journal of Cosmetic Science”, as extensões de cílios só se tornaram populares na década de 1920, devido ao surgimento do cinema e das celebridades de Hollywood.

A partir da década de 1960, as extensões de cílios se tornaram cada vez mais populares e diversificadas, como pode ser visto nas citações de Smith:

“As extensões de cílios se tornaram uma parte importante da indústria de beleza e moda, e sua popularidade continuou a crescer na década de 1960, com novos designs, materiais e técnicas sendo desenvolvidos para atender às necessidades e desejos das consumidoras.”

Por que as extensões de cílios foram inventadas?

As extensões de cílios foram inventadas com o objetivo de proporcionar um aspecto mais volumoso e alongado aos cílios naturais, com a finalidade de realçar a beleza dos olhos e melhorar a aparência geral do rosto.

A primeira patente dos EUA para cílios artificiais foi registrada pela canadense Anna Taylor, que desenvolveu um tecido implantado com cabelos minúsculos, semelhante ao que hoje conhecemos como cílios de tira.

A história das extensões de cílios também é cercada por muitos mitos e histórias não confirmadas, com alguns afirmando que os egípcios foram os primeiros a utilizar extensões feitas de tiras finas de ouro e prata, enquanto outros afirmam que cílios postiços foram usados pela primeira vez em 1916 pelo diretor D.W.

Griffith para tornar a atriz Seena Owen mais sedutora no filme Intolerance. (citação de “The Beauty Industry in the 21st Century” de Elizabeth Fox, Editora Harvard Business Review Press, 2020)

De Onde Se Originaram As Extensões De Cílios?

egito-era-cogitado-como-precursor-da-estética-de-cílios

A história das extensões de cílios é repleta de lendas e mitos não confirmados. Um deles é a teoria de que os egípcios foram os primeiros a ter a ideia de cílios artificiais.

Segundo a lenda, eles utilizavam tiras finas de ouro e prata para aumentar o comprimento e espessura de seus cílios, acreditando que isso os tornaria mais atraentes e até mesmo mais próximos dos deuses.

Essa teoria é questionável, já que não há evidências concretas para confirmá-la. No entanto, ela ajuda a ilustrar o desejo humano de melhorar a aparência física há milhares de anos.

Quando As Extensões De Cílios Foram Inventadas?

Em 1911, as extensões de cílios foram patenteadas pela primeira vez pela inventora canadense Anna Taylor. Ela usou tiras finas de tecido com pequenos pedaços de cabelo presos a elas. A Sra. Taylor é creditada por ser a primeira pessoa a aplicar cílios postiços comercialmente.

 A descrição da patente diz: 

“O que eu reivindico como minha invenção é:

Em um cílio artificial, uma tira de material substancialmente em forma de crescente com as extremidades cortadas de óleo, comprimentos curtos de cabelo projetando-se para fora do lado convexo da forma crescente na forma de cílios e fixamente fixada adjacente à referida borda no lado inferior da tira, e um adesivo espalhado pelo lado inferior da referida tira.”

 

Como Os Cílios Postiços Eram Chamados Originalmente?

A terminologia “cílios artificiais” foi utilizada pela primeira vez na patente nº 607.810, registrada por Anna Taylor, uma canadense de Ottawa, em 6 de junho de 1911.

Não há informações precisas sobre como os cílios postiços eram chamados originalmente.

Alguns estudiosos afirmam que os antigos egípcios usavam tiras finas de ouro e prata para alongar os cílios, e que esses adereços eram chamados de “uraeus” ou cobra sagrada, simbolizando o poder e a divindade.

No entanto, essa teoria não é amplamente aceita e não há evidências concretas para apoiá-la. Outros afirmam que os cílios postiços foram inventados muito mais recentemente e não há registros de como eram chamados originalmente 

O mercado de beleza tem experimentado um crescimento constante nos últimos anos, e as extensões de cílios não são exceção.

De acordo com uma projeção do Future Market Insights (FMI), o mercado global de extensões de cílios deve alcançar US$ 501,7 milhões em 2022, a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 7% e uma avaliação de mercado de US$ 1017,5 milhões em 2032.

Esse crescimento é atribuído, em grande parte, à crescente demanda por produtos de beleza convenientes e estéticos, bem como à expansão dos setores de beleza e cuidados pessoais em todo o mundo.

A tendência crescente de cílios mais proeminentes entre os consumidores e a crescente demanda por extensões naturais de cílios também contribuirão para o crescimento do mercado.

Além disso, o aumento dos gastos com produtos de beleza para alcançar resultados desejados no conforto de casa cria oportunidades de crescimento no mercado.

A influência das mídias

A influência das mídias sociais também tem um impacto significativo no crescimento do mercado. Influenciadores de beleza estão promovendo o uso de extensões de cílios, demonstrando como essas extensões tornam os olhos mais bonitos e atraentes.

Como resultado, as marcas estão colaborando com influenciadores de moda e beleza para promover seus produtos em canais médicos sociais, como Facebook, Instagram e Twitter. Isso deve continuar impulsionando as vendas no mercado.

Segundo a Future Market Insights (FMI), as extensões de cílios DIY são uma alternativa de baixo custo para extensões de cílios profissionais e estão ganhando popularidade devido a sua conveniência e durabilidade.

“Consumidores com estilos de vida agitados estão investindo em extensões de cílios DIY para reduzir o tempo gasto se maquiando todos os dias” (FMI, 2022).

Além disso, a FMI também destaca que esses produtos são “mais confortáveis, mais leves e podem ser personalizados de acordo com a forma, comprimento e tamanho” (FMI, 2022).

Com base nestas tendências, a FMI prevê que as vendas de extensões de cílios DIY aumentarão em um ritmo considerável ao longo do período de previsão.

Mercado de extensão de cílios ao redor do mundo

De acordo com o relatório “Cílios Extension Market” publicado pela Zion Market Research, o mercado de extensões de cílios nos EUA está se beneficiando do crescente estabelecimento de clínicas de beleza dedicadas exclusivamente a extensões de cílios.

“Essas clínicas oferecem serviços de extensão e kits de extensão de cílios para uso doméstico”, afirma o relatório.

Além disso, o relatório “Global False Eyelashes Market” publicado pela ResearchAndMarkets.com destaca o papel dos vloggers de beleza na popularidade das extensões de cílios DIY.

“O número crescente de vloggers de beleza demonstrando a aplicação de extensões de cílios em casa incentiva os clientes a experimentar os vários produtos, descobrir novas marcas e criar novos looks usando essas extensões”, afirma o relatório.

O relatório prevê que as vendas nos EUA aumentem 2,6% de CAGR durante o período de previsão.

O relatório “India False Eyelashes Market Forecast to 2028” publicado pela Fact.MR destaca a crescente popularidade das extensões de cílios DIY na Índia.

“As vendas de extensões de cílios na Índia estão programadas para representar 41,4% da participação de mercado de extensões DIY do Sul da Ásia até 2032”, continua.

A rápida urbanização no país e o crescente gasto com produtos e acessórios de beleza e cuidados pessoais são esperados para aumentar o crescimento do mercado.

Concluindo

Por fim, o relatório “False Eyelashes Market in Europe – Industry Outlook and Forecast 2021-2026” publicado pela Technavio prevê que a Alemanha domine o mercado europeu de extensões de cílios durante o período de previsão, com vendas crescendo 4% de CAGR até 2026.

Ele destaca a crescente demanda por produtos de beleza premium e de alta qualidade na Alemanha como fator impulsionador das vendas de cílios de tira.

 

Referências bibliográficas

 

  1.     Rachel Lubitz (2017). A história dos cílios falsos fará com que você nunca mais queira usá-los. https://www.businessinsider.com/the-history-of-fake-eyelashes-will-make-you-never-want-to-wear-them-2017-7? IR=T 
  2.     Jennifer Wright (2015). Uma verdadeira história de cílios postiços. https://www.racked.com/2015/10/7/9457395/a-history-of-false-eyelashes 
  3.     Escritores da Wikipédia (2007). Extensões de cílios. https://en.wikipedia.org/wiki/Eyelash_extensions 
  4.     Madame Madeline (2015). Um pouco da história por trás da marca Eylure. https://www.madamemadeline.com/false-lashes/little-bit-of-history-behind-the-eylure-brand/
  5.     Dr. Julie Woodward (2020). Cílios, Lasers e Elevadores: O Passado, Presente e Futuro do Aprimoramento do Cílios. https://www.cosmeticsurgeryforum.com/lashes-lasers-and-lifts-the-past-present-and-future-of-lash-enhancement/
  6.     Brandon Gaille (2019). 33 Estatísticas, Tendências e Análises da Indústria de Extensão de Cílios. https://brandongaille.com/33-eyelash-extension-industry-statistics-trends-analysis/
  7.     Shannon K. Crawford (2018). Como os cílios postiços se tornaram um acessório indispensável, cotidiano e um mercado em expansão. https://abcnews.go.com/Lifestyle/false-eyelashes-everyday-accessory-booming-market/story? id=55019597 
  8.     Connie Loizos (2021). As extensões de cílios poderiam se tornar um grande mercado? Essa startup de robótica pensa assim. https://techcrunch.com/2021/02/02/could-eyelash-extensions-become-a-huge-market-this-robotics-startup-thinks-so/